Estudos

Vida financeira enrolada ou próspera?

Helio Peixoto
Escrito por Helio Peixoto em 22/10/2018
Vida financeira enrolada ou próspera?
Quer saber como ser bem-sucedido?

Siga a direção certa! Cadastre-se e receba gratuitamente um ebook sobre o tema

VIDA FINANCEIRA ENROLADA OU PRÓSPERA?

Quem não quer ter uma vida próspera financeiramente? Todos nós, é claro!

Mas como conseguimos isso? Trabalhando dia e noite, tendo a “sorte” de ter nascido numa família rica ou ganhando uma grande quantia de dinheiro de alguém?

Com certeza, existe um esforço nosso em trabalhar, mas o ser humano sozinho nem sempre chega aonde quer; nascer em família rica não é uma escolha nossa; e receber uma fortuna de alguém é algo pouco provável.

Então, o que fazer quando a nossa vida financeira não vai bem? E quando somos responsáveis por uma igreja e as finanças da igreja não vão bem também? Como resolver?

Enquanto cristãos, existe um entendimento que a Palavra de Deus nos oferece sobre o assunto que deve ser uma diretriz para nossas vidas se quisermos ser bem-sucedidos nessa área.

Nesse post, vamos passar por alguns conceitos que vão despertar um novo entendimento em você.

1. Temos uma herança sem igual

Existem 3 fatos bíblicos que você precisa relembrar, crer e tomar posse. São eles:

I. Deus é o Criador de TODAS as coisas, e riquezas estão incluídas nessa criação. A Bíblia nos diz que Ele é o dono do ouro e da prata.

“Minha é a prata, meu é o ouro, diz o SENHOR dos Exércitos.” (Ageu 2:8)

 

II. Aqueles que aceitaram de coração Jesus como seu Senhor e Salvador se tornaram filhos de Deus, logo, são herdeiros de Deus, que é o dono do ouro e da prata.

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome.” (João 1:12) 

 

III. Deus é o nosso Pai e nos ama demais. Por causa disso, Ele tem prazer em dar a nós, Seus filhos, o melhor dessa terra.

“Cantem de júbilo e se alegrem os que têm prazer na minha retidão; e digam sempre: Glorificado seja o SENHOR, que se compraz na prosperidade do seu servo!” (Salmos 35:27)

 

> Então, essa é a base para começarmos a falar do assunto prosperidade financeira. Você precisa entender (e ter certeza) que Deus, como Pai amoroso e rico que é, QUER te abençoar financeiramente, porém, existe um propósito para tudo isso. Você verá a seguir.

 

2. A prosperidade já está acoplada à nova criatura

Ser próspero não é um favor que Deus faz a nós; é um direito que adquirimos por causa de algo que já foi feito por Jesus. A habilidade de prosperar já se instalou em nós quando fomos feitos novas criaturas e a pessoa do Espírito Santo passou a habitar em nosso interior.

Porém, desfrutar dessa condição não é algo automático, pois a prosperidade não é algo que se alcança como se fosse uma coisa exterior; prosperidade é resultado de um estilo de vida, e os frutos se manifestam consequentemente em nossa vida.

Na prática, a nossa prosperidade acontecerá à medida que formos transformados pela Palavra de Deus. Por isso, devemos estar continuamente abertos a mudar. Deus quer operar uma grande obra em nossa vida, mas precisamos cooperar para que Ele possa se manifestar.

E por onde começa a mudança? Na mente. Busque ajustar seus pensamentos conforme Deus pede e isso interferirá nas decisões que você precisa tomar na área financeira e nas demais áreas também.

 

3. O propósito maior para a bênção financeira

Ok, você já entendeu que Deus quer te abençoar em finanças e que a prosperidade já te pertence por você ter nascido de novo.

Então, agora, eu quero te levar a uma reflexão:

Se você tivesse muito dinheiro, o que faria com ele?

 

 

Comece a fazer a sua lista aí dentro de você.

De fato, somos seres com necessidades. E não apenas com necessidades, mas com desejos também. E para que algumas dessas coisas que precisamos e sonhamos se tornem reais, precisamos pagar por elas.

Mas sabe o que é melhor? Deus conhece tudo que precisamos e desejamos, e tem prazer em nos atender. Porém, tudo aquilo que Ele provê para nós tem um propósito muito maior do que somente o nosso próprio bem.

Em outras palavras, NÃO é o desejo de Deus sermos prósperos APENAS para nós mesmos, mas a prosperidade tem o objetivo de sermos TAMBÉM um instrumento abençoador para outras pessoas.

Seja uma bênção para outros

Assim como Deus disse a Abraão, Ele nos diz: “Sê tu uma bênção” (Gênesis 12:2). Essa frase nos mostra que Deus é doador e espera que sejamos da mesma forma.

Outro exemplo que podemos usar para ilustrar o que estou falando é quando Deus liberta o Seu povo do Egito e os israelitas saem carregados de ouro e prata (Salmos 105:37).

Mas, pela lógica, o que adiantaria aquele povo ter tantas riquezas se não tinham onde gastar? O que comprariam no deserto?

A resposta está em Êxodo 35, quando Deus manda Moisés dizer ao povo para levar oferta voluntária para construção do tabernáculo. Ou seja, Deus tinha um “destino” para aquelas riquezas e Ele continua o mesmo ainda hoje. Por isso, entenda: somos instrumentos abençoadores.

Então, eu volto à pergunta que fiz para você anteriormente: se você tivesse muito dinheiro, o que faria com ele?

Você está disposto a INVESTIR em pessoas? Ou você quer melhorar financeiramente apenas para o seu próprio benefício?

E eu vou além: mesmo tendo pouco dinheiro, talvez uma quantia que quase não as supra as suas próprias necessidades, você ainda está disposto a ser bênção para outros?

Para você responder “sim”, você precisa de fé.

 

4. A doação e a fé

Você pode pensar assim: “Como eu vou doar alguma coisa se eu mal tenho pra mim?”.

Esse é o pensamento comum e natural. Mas, como filhos de Deus, devemos ter um outro raciocínio: o espiritual.

Então, se Deus te inspirasse a dar o pouco que você tem, você obedeceria ou correria para fazer suas contas?

Vejo muitas pessoas que não crescem em sua profissão, em seus negócios e até em seu ministério porque estão sempre pensando de forma meramente natural. Elas estão sempre voltadas para as suas necessidades e fazendo cálculos das suas despesas.

Mesmo com um sonho em seu coração, elas deduzem: “Não dá”. Com isso, bloqueiam todo sobrenatural de acontecer. Por isso, finanças é um assunto tão espiritual.

Deus nos criou para sermos abençoados, para sermos destaque e para sermos abençoadores também. Ele não nos pediu para sermos bons em fazer contas, mas para fazermos a nossa parte nesse mundo, que é trabalhar honestamente, melhorar nos estudos, na profissão, enfim, naquilo que desempenhamos e, paralelo a isso, vivermos o sistema no Reino. Afinal, passamos a ser Seus filhos!

Então, SEMPRE DÁ para crescermos, progredirmos e prosperarmos, mas isso envolve fé! É preciso fé para fluir na inspiração do Espírito Santo, confiando que Deus vai suprir tudo que precisamos e vai fazer nossas sementes multiplicarem em nosso favor!

 

5. Falando sobre dízimos e ofertas

Dízimos e ofertas têm tudo a ver com o que acabamos de falar.

Especificamente sobre dízimos, muitos têm dúvida se ele ainda deve ser dado, já que estamos no tempo da graça, e não no da lei. Logo, se Jesus já cumpriu toda a lei e inaugurou a nova aliança, o dízimo ainda precisaria ser entregue?

O que muitos não sabem é que o dízimo foi instituído ANTES da lei. Ou seja, o argumento de que essa era uma prática da lei e que, por isso, estaria desatualizada, cai por terra.

Mas e sobre o fato do dízimo não ser citado no Novo Testamento? O que posso te dizer é que, na nova aliança, não fazemos mais as coisas por obrigação, mas sim por gratidão a tudo que Deus fez por nós. Somos livres para escolher, mas Deus procura em nós um coração voluntário.

Essa mentalidade de gratidão pode ser vista em um texto de Gênesis 14, quando Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, o sumo sacerdote que representava a pessoa de Jesus. Isso foi antes da lei.

E sobre as ofertas? Ofertas são sementes. Deus não faz troca conosco, mas a Sua Palavra declara que aquilo que semearmos, colheremos (Gálatas 6:7). Ou seja, se plantarmos sementes de coração, Deus preparará o caminho da bênção para nós.

As ofertas são um termômetro  do nosso coração. Já que não existe um parâmetro de valor definido, como os 10% do dízimo, elas devem ser resultado de uma disposição nossa em abençoar vidas e ministérios, além de uma inspiração do Espírito Santo.

Eu sempre digo que aquilo que sai do nosso bolso não sai da nossa vida. Creia nisso!

 

6. E quando prosperarmos, de quem será o senhorio?

Vimos que Deus não é contra riqueza, mas a Bíblia deixa claro que Ele é contra o dinheiro dominar o nosso coração e se tornar o nosso Senhor.

Leia comigo esta passagem:

“Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.” (1 Timóteo 6:9-10)

Timóteo diz que o problema não é ter dinheiro, mas amar o dinheiro, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Portanto, sempre faça um inventário no seu interior para se certificar que o seu coração não esteja dominado pelo dinheiro. Só existe um Deus que deve estar assentado no trono: o Senhor, o Rei da glória.

 

7. Concluindo

Se tivermos um correto entendimento sobre finanças, tudo na nossa vida nessa área irá bem: nossa casa, nosso trabalho, nosso negócio, nosso ministério.

Mesmo que você tenha feito escolhas erradas anteriormente, decida, a partir de agora, ser sábio com seus gastos, confiar em Deus para ser abençoado e seguir na inspiração do Espírito Santo para ser uma pessoa abençoadora.

Se você se entregar a Ele verdadeiramente e quiser fazer da Sua Palavra o seu estilo de vida, as coisas se ajeitarão e você avançará nessa área.

Deus é o primeiro que quer transformar a sua vida e ver seus sonhos se concretizarem! Confie e viva o sistema do Reino!

Deus te abençoe grandemente!

Pr. Helio Peixoto

 

Devocional diário pra quê?
Os principais passos para a maturidade

>